Se Creres Gospel
Se Creres Gospel
Home Artigos Notícias Quem Somos Testemunhos Opinião Bíblia Sagrada Conheça Se Creres WebRádio Editora

O Senhor Jesus restituiu a minha vida!

E o Senhor virou o cativeiro de Jó, quando orava pelos seus amigos; e o Senhor acrescentou, em dobro, a tudo quanto Jó antes possuía. Jó 42:10.

Nossos filhos são muito importantes, é devido a isso que fazemos de tudo para protegê-los. Preferimos nos sacrificar ao sacrifica-los. Mesmo assim, muitas vezes passamos por momentos tão difíceis. É como se segurássemos firmes em suas mãos em meio a um precipício para que não caiam e se percam. Em muitos casos nossas tentativas são em vão, falhamos e permitimos que eles afastem da nossa presença e proteção.

Nesta batalha não tereis que pelejar; postai-vos, ficai parados, e vede a salvação do Senhor para convosco, ó Judá e Jerusalém. Não temais, nem vos assusteis; amanhã saí-lhes ao encontro, porque o Senhor será convosco. 2 Crônicas 20:17.

Malu tentou segura na mão de sua filha Christine e não conseguiu, viu sua filha há quem muito ama entrar nas drogas. Viu e não pode fazer nada. Ela bem que tentou e como tentou. Mas não desistiu e jamais desistiria.

Quando tinha apenas cinco anos de idade, foi quando Christine perdeu o seu pai em um acidente de carro quando voltava do trabalho. Mario naquele dia cobria o turno de um colega de serviço. Tinha combinado trocar a folga para que pudesse passar o aniversário de sua filha em casa.

Ao sair no dia seguinte, já que havia trabalhado a noite inteira, por volta das seis horas entrou em seu carro um Chevette ano oitenta e cinco, mas, muito conservado. Mario não estava acostumado a trabalhar no período noturno e dentro do carro tentava manter acordado, mas o sono dominava, então cochilou no volante. Foram apenas alguns segundos. O suficiente para bater em outro veículo quando cruzou o sinal fechado.

O carro capotou varias vezes. Juntou muitas pessoas em volta. Chamaram o resgate, mas quando chegaram, não tinha mais o que fazer, Mario havia morrido. Tinha sofrido muitas escoriações no corpo e uma lesão no cérebro.

Sua esposa quando ficou sabendo entrou em pânico, tentou conte-se para que Christine não percebesse. Escondeu o ocorrido durante meses, mas o que não evitava que a menina perguntasse pelo pai todos os dias. Queria saber a hora que ele chegaria do trabalho. Sua mãe sempre respondia que não iria demorar. Mas as horas passavam e nada. Quando sua mãe a colocava na cama para dormir, Christine pedia para que quando seu pai chegasse fosse até seu quarto para dar-lhe um beijo.

Christine ficou sabendo do ocorrido após dois anos da tragédia, sua mãe quis esconder por mais tempo, mas devido à insistência da menina e o aconselhamento da psicóloga, Malu resolveu contar tudo. Para ela o choque foi muito grande, sua personalidade mudou completamente.

Os anos foram passando e dava para perceber o quanto Mario fez falta na vida de Christine. Ela chegava até culpar-se pela morte do pai. Sabia que o motivo para ter trabalhado naquela noite foi o seu aniversário. Sua mãe marcava periodicamente as consultas no psicólogo, mesmo que era notório de que não havia melhora no quadro.

A menina vivia isolada no seu quarto, não tinha amizades, não havia sorriso em seu rosto. Seu coração vivia amargurado.

Christine já cursava a oitava série e foi na escola que se aproximou dela uma jovem tentando ganhar a sua confiança. Mas aquela [jovem] não tinha boas intenções, alguns, ou melhor, poucos, sabiam de sua fama. Ela prometia solução para todos os problemas. Dizia saber uma forma para esquecer todas as aflições. A curiosidade de Christine aumentava, queria saber mais. Talvez a solução para todos esses anos sofrendo e se culpando, poderiam está chegando ao fim.

Então de sua boca saiu a seguinte pergunta.

- Como assim? Quer dizer que você sabe Como mudar tudo isso que eu sinto aqui dentro de mim?

Aquela jovem sem muito argumentar, respondeu.

- Sim, não sei que passa ai dentro de você, porque sequer eu te conheço, mas, sim, eu tenho a solução, e sei que você vai gostar muito, e o melhor, vai mudar a sua vida.

Depois daquele dia Christine não largava de Sofia. Sua mãe notou algo diferente, sua filha andava sorrindo. No principio Malu achou que tudo estava ficando bem. Mas só a principio, pois Christine com ela não havia melhorado, pelo contrario ficou mais arrogante.

Para piorar começou a sair de noite, sempre acompanhada de sua nova amiga. Mas antes, exigia dinheiro de sua mãe, isso gerava discussão e para não chegar ao extremo, Malu cedia.

Só chegava de madrugada, entrava no seu quarto, batia a porta e a trancava. Sua mãe só a via no dia seguinte.

Malu começou a perceber que dinheiro e alguns objetos de dentro de casa começaram a sumir. Em vários outros momentos [Malu] quis falar com Christine sobre esses acontecimentos, mas não sabia qual seria a reação de sua filha, temia que pudesse afastá-la ainda mais.

E o inesperado aconteceu, Malu acordou de madrugada e sua filha ainda não havia chegado, preferiu esperar, mas aquele dia terminou e nada de Christine voltar. Não sabia o que fazer, entrou em desespero, perguntou para alguns colegas de escola, mas ninguém soube dizer sobre o paradeiro de sua filha.

O tempo passava. A falta de notícias deixava [Malu] desesperada. Ela não se conformava por não ter conseguido segurar nas mãos de sua filha.

No dia desaparecimento, Christine tinha conseguido uma carona, saiu da cidade e não foi sozinha, Sofia havia ido com ela. Ela [Christine] se tornou dependente química, havia se envolvido com crack. O dinheiro e os objetos desaparecidos de sua casa haviam sido usados para o consumo da droga.

Sofia tinha contatos nessa nova cidade, um traficante tinha-lhe prometido muito dinheiro.

Christine até ficou um bom tempo com Sofia. Até que [Sofia], percebeu que sua amiga se tornou um empecilho para seus negócios, então resolveu mandá-la embora.

Sem nenhum dinheiro no bolso e sequer tinha para onde ir. Começou a dormir em uma praça, e durante o dia pedia esmolas, o que conseguia era apenas para satisfazer seu vicio. Mal se alimentava. Não conseguia dormir direito. Vivia perturbada. Sabia que não tinha a quem recorrer.

Malu tinha esperança que sua filha voltasse para casa, não desistiu e jamais desistiria. E certo dia andando pela calçada avistou uma placa que dizia IGREJA EVANGÉLICA PENTECOSTAL SE CRERES VERÁS A GLÓRIA DE DEUS, naquele momento sentiu algo em seu coração para que andasse naquela direção e próxima da igreja ouviu um louvor que dizia assim:

...Eu estou contigo, não te deixarei. Durante a noite, tua voz ouvirei. Passo a noite contigo pra te guardar. E, pela manhã, minha promessa em tua vida se cumprirá...

Ficou por algum tempo parada na frente da igreja ouvindo o louvor. Como um filme, tudo que passara na vida veio em sua mente. A única pergunta que faria naquele momento, POR QUÊ?

Estava tão distraída que não percebeu que se aproximou uma senhora e perguntou:

- você não Quer entrar e ficar para o culto?

- Quem, eu? Respondeu Malu.

- Você mesmo, porque não entra e espera para o culto? Deus opera maravilhosamente!

- Não, hoje não, talvez eu volte outra hora. E partiu.

Deus tem um propósito na sua vida!

Aqueles momentos que passou na frente da igreja não saiam da cabeça de Malu. Foi a primeira vez que sentiu um conforto e uma paz no seu interior. Mesmo passando por um momento delicado em sua vida, foi naquele [momento] que sentiu uma alegria no seu coração.

Da parte do Senhor se fez isto; maravilhoso é aos nossos olhos. Este é o dia que fez o Senhor; regozijemo-nos, e alegremo-nos nele. Salva-nos, agora, te pedimos, ó Senhor; ó Senhor, te pedimos, prospera-nos. Salmos 118:23-25.

Passados alguns dias, a sua vontade de retorna naquela igreja era enorme, como não fosse apenas a sua [vontade], mas uma vontade maior, uma vontade divina, ou quem sabe a vontade de Deus em sua vida.

Passou em frente novamente e marcou os dias e os horários dos cultos. No final de semana resolveu ir até a casa de Deus. A princípio não entrou, ficou parada em frente, não tinha nenhuma reação e foi aquela mesma mulher que a convidou da primeira vez que de repente apareceu, e perguntou.

- Você voltou? Que bom – e continuou – entre Deus tem algo grande para você!

Malu apenas balançou a cabeça concordando e entrou. Sentou no fundo da igreja. Cantou e se emocionou com os louvores, quis segurar, mas não conteve as lágrimas. No final do culto, na hora da palavra o pregador começou a pregação. E de repente parou, virou-se para Malu e disse:

Deus manda dizer assim para você, sabe aquela que partiu, eu a trarei de volta, porque hoje eu vou conceder o desejo do seu coração. Por que Eu vi o seu choro a noite, vi as lágrimas de derramou. Mas a partir de hoje te darei vitória. Porque Eu, o Senhor Deus, estou restituindo a sua vida.

Malu não compreendia como aquele pregador podia saber da sua vida, já que nunca o tinha visto. E o pregador continuou.

Prepara-se, amanhã por volta das três horas, vai ser a hora que Eu estarei cumprindo com o que hoje estou prometendo.

No final do culto, Malu saiu da igreja e foi para casa, ainda sem saber se tudo aquilo era real.

E naquela mesma noite Christine enquanto dormia teve um sonho que dizia para que ela voltasse à sua casa, que sua mãe ainda a amava muito e estava esperando de braços abertos.

Christine simplesmente levantou, estava longe de casa, um percurso de duas horas de viagem. Já eram nove e meia da noite, correu para posto de gasolina. Queria conseguir carona com algum caminhoneiro. Ficou sentada próxima a porta da loja de conveniência do posto. Já aproximava uma hora da manhã, quando saiu pela porta um motorista e ofereceu carona, seu caminho era justamente o mesmo de Christine (coincidência?), que abriu um sorriso e aceitou. Entraram dentro do caminhão, lá houve apenas uma pergunta em todo percurso e foi o caminhoneiro que fez.

- você está indo passear?

Depois de alguns minutos em silêncio, Christine respondeu.

- Não – e continuou - Estou voltando para o lugar de onde eu nunca deveria ter saído!

Enfim chegaram. Christine agradeceu e saiu correndo. Naquele momento muitas coisas passaram pela sua cabeça. Será que sua mãe iria recebê-la? Mas não se importou, apenas corria pelo meio da rua, queria sentir o prazer abraçá-la novamente nem que fosse pela última vez.

Já eram três horas da manhã, quando Christine parou em frente da casa de sua mãe. Nesse momento já não havia pressa, as pernas começaram a tremer. Andando vagarosamente foi entrando no quintal. Aproximou-se da porta e quando se preparava para bater, a porta abriu, e por instante ficou face a face com a mulher que mais a ama. Que nunca desistiu dela. Sem dizer uma palavra, se abraçaram. Mãe e filha não conseguiam conter tanta alegria.

Depois daquele dia as vidas de mãe e filha mudaram. Deus restituiu a vida de Malu, que passou a partir daquele momento ser fiel ao Senhor. Christine também começou a frequentar a casa de Deus, que libertou da dependência química.

Hoje, ambas são servas de Deus, vivem felizes com a presença do Espírito Santo.

Obrigado, JESUS!

O SENHOR é o meu pastor, nada me faltará. Deitar-me faz em verdes pastos, guia-me mansamente a águas tranqüilas. Refrigera a minha alma; guia-me pelas veredas da justiça, por amor do seu nome. Ainda que eu andasse pelo vale da sombra da morte, não temeria mal algum, porque tu estás comigo; a tua vara e o teu cajado me consolam. Preparas uma mesa perante mim na presença dos meus inimigos, unges a minha cabeça com óleo, o meu cálice transborda. Certamente que a bondade e a misericórdia me seguirão todos os dias da minha vida; e habitarei na casa do Senhor por longos dias. Salmos 23:1-6

Postar um comentário

0 Comentários

O Senhor Jesus restituiu a minha vida! - Se Creres Notícias Gospel